Notícias

Arte e Dispositivos de Transformação MÓDULO II

Workshop  prático-teórico, experimental e imersivo nos dias 19 e 20 de setembro. Voltado a quem deseja exercitar o olhar, fazer e pensar na Arte Contemporânea junto a práticas de vida. Artistas, Estudantes e Profissionais de diferentes áreas, que tenham interesse em descobrir ferramentas que utilizam as poéticas contemporâneas como veículo de transformação de si e do mundo.

Caracterizado pelo conceito de imersão, o workshop será desenvolvido em 2 encontros de 08 horas. São dois dias de conteúdo intenso ilustrados por imagens e textos de arte e do sistema das artes para dar impulso à oportunidade de desenvolver práticas do processo criativo através de diferentes suportes, ações em vídeo, desenho, fotografia, colagem, performance, escrita sobre arte, ou sonoridades.

arte e dispositivos

Objetivos
// Capacitar os participantes dos pontos de vista prático e teórico, preparando-os para uma discussão a respeito das tendências da arte contemporânea e seus mecanismos de transformação.
// Promover um processo ativo que permita aos participantes experimentar convergências e práticas relacionais através da produção de um ato poético, desenvolver  um  trabalho específico.

Que mecanismos de transformação a arte pode promover? Como a vida atual tem se beneficiado da presença da manifestação expressiva? O que a arte e os artistas estão propondo como dispositivos de transformação? Qual o papel da arte frente à cultura hipercomplexa dos nossos dias?

As atividades são desenvolvidas a partir de dois textos disparadores:  “O que é um dispositivo?”, de Giorgio Agamben e “Estética relacional”, de Nicolas Bourriaud. Ao trabalhar em simultaneidade entre tempo histórico e tempo atual, parte-se do contemporâneo para redesenhar a história da arte. Serão mostradas obras em uma perspectiva não linear e transversal; o conceito de mediação será trabalhado a partir dos dispositivos de interatividade que estimulam a participação do espectador junto às obras de arte.

arte e dispositivos_2

Artistas trabalhados
André Parente, Antoni Abad, Antoni Muntadas, Cantoni & Crescenti, Cantoni & Kutschat, Gabriel Orosco, Grupo Fluxus,  Grupo Frontera, Hélio Oiticica, Janet Cardiff, Jefrey Shaw, Joseph Boeyus, Katia Maciel, Lucas Bambozzi, Lygia Clark, Marta Minujin, Rafael Lozano Hemmer, Raquel Kogan, Rirkrit Tiravanija, Teaster Gates, Trevor Paglen.

Duração: dois dias intensivos – 16 horas

Data: 19 e 20 de setembro.

Local:  TransLAB – Rua Professor Duplan, 146

Em breve programação completa.

Investimento
Propomos faixas de valor para que você escolha aquela que faz mais sentido. Dessa forma buscamos facilitar a participação e gerar uma atitude reflexiva na hora do investimento.

  • R$ 350 – Valor mínimo que paga nossas despesas e tempo dedicado da equipe de trabalho.

  • R$ 375 – Valor intermediário que paga nossas despesas e qualifica o tempo dedicado da equipe de trabalho.

  • R$ 400 – Valor ideal que paga nossas despesas, qualifica o tempo dedicado da equipe e possibilita ao TransLAB investir em novas e relevantes atividades.

Vagas limitadas. Máximo 15 pessoas.

Inscrições através de depósito bancário:
Santander
Manuela Oliveira
CPF: 013.152.450-00
Agência 1013
Poupança 60002333-2

MAIS INFORMAÇÕES
contato@estudionomade.com.br

Bibliografia sugerida
Agamben, Giorgio: “O que é um dispositivo?”, in “O que é o contemporâneo e outros ensaios”, Chapecó, SC, Argos, 2009.
Barbero, Jesus Martin:”Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia”,Ed. UFRJ,RJ, 2013.
Bourriaud, Nicolas:”Esthétique relationelle”, Dijon-Quetigny,2004.
Groys, Boris: “Going public”, Sternberg Press, Berlin- NY, 2010.
Parente, André e Parente, Lucas:”Passagens entre Fotografia e Cinem na Arte Brasileira”, Ed. +2, Rj, 2015.

daniela_bousso

Mini CV // Vitoria Daniella Bousso
Daniela Bousso é crítica de artes visuais,curadora, pensadora.É doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC, com mestrado em arte brasileira pela ECA-USP. Foi diretora do Paço das Artes de 1997 a 2011,e também a responsável pela renovação do MIS-SP, que dirigiu em simultaneidade com o Paço das Artes, de 2007 a junho de 2011. Foi responsável pela concepção e formatação do Premio Sergio Motta de Arte e Tecnologia e pela curadoria das suas sete primeiras edições. Coordenou e realizou a curadoria da primeira edição do projeto Rumos Visuais junto ao Itaú Cultural.
Entre as suas principais curadorias, estão: Salas Dennis Oppenheim e Tony Oursler, 24 Bienal de SP,1998, Coordenação da primeira edição do projeto Rumos Itaú Cultural, SP, 1998/1999, III Bienal do Mercosul,Sala Rafael França, POA, 2000, “Rede de tensão”, 50 anos da Bienal de SP, 2001,”Hyper, relações eletro digitais”, Santander Cultural, POA, 2004. Inter@connect, 12 brasileiros no ZKM-Centro de Mídia arte, Alemanha, 2006, “Paisagens”, Museu Reina Sofia, 2008, “Pipilotti Rist”, Paço das Artes e MIS, 2009, “Infinita paisagem”,Fundação Telefônica Buenos Aires 2011, e “Nas Tramas do Tempo: estética ou poética?”,Coleção Instituto Figueiredo Ferraz, Ribeirão Preto, 2013, ”O tempo e os tempos”, Carbono Galeria,SP, 2015. Prêmios APCA “Curadora revelação”, 1992 e “melhor programação do ano”, APCA, 2004, projeto “Ocupação”, Paço das Artes SP. É especialista em planejamento estratégico para a arte contemporânea, inclusa a  midia arte com projetos que envolvem inovação social e arte.Atualmente é sócia diretora da Musas Produções Culturais LTDA e leciona no curso “Estéticas Tecnológicas” no TIDD (Tecnologias da Inteligência do Design Digital) da PUC-SP. É co-autora do curso “De Leonardo ao Digital”, criado   com Lucia Santaella e ministrado no Instituto Cervantes,- SP(2011 e 2012), no  Instituto Figueiredo Ferraz – Ribeirão Preto, (2013). Em 2014, o curso de arte contemporânea foi ministrado no Sesc-SP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>